Antisséptico sem álcool, desenvolvido por startup, é grande aliado contra o coronavírus

Antisséptico sem álcool, desenvolvido por startup, é grande aliado contra o coronavírus

Chegamos em 2021 com a expectativa da vacina e da redução dos casos de infecções por coronavírus, mas não é este o cenário atual que o Brasil enfrenta. Apesar do avanço da ciência na confecção de doses de vacinas e início das vacinações por todo o país, apenas 3,2 % da população foi vacinada até 1º de março, segundo levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa.

Devido a lotação de leitos hospitalares disponíveis para os casos mais graves da doença e ao crescimento do número de casos de Covid-19, alguns governos estaduais tiveram que aplicar medidas mais restritivas ao comércio e às atividades consideradas não essenciais.

Segundo a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), 70% da população brasileira deve ser vacinada para que a situação da pandemia seja considerada sob controle, mas alguns cientistas estimam que isso só deve acontecer em 2024.

“A prevenção de doenças, como a da Covid-19, é o caminho ideal para a redução das contaminações e para desocupar os leitos dos hospitais” afirma Fernanda Checchinato, cientista CEO da Aya Tech, que explica como é importante investir em prevenção “Os produtos de prevenção deveriam ser distribuídos gratuitamente pelo governo à população. Isso poderia ser disponibilizado pelo SUS, no posto de saúde, porque reduz as doenças e, assim, você também desocupa os hospitais e gasta menos com medicamentos.”

Para combater infecções causadas por vírus, bactérias e fungos, a Aya Tech desenvolveu produtos sem álcool e com duração prolongada para proteção da cabeça aos pés.

A linha GY® Antissépticos tem o sabonete, que pode ser usado no banho e ao lavar as mãos, além da versão spray e gel, para carregar na bolsa, mantendo a pele livre de contaminação por até seis horas. “O GY® Antisséptico cria uma “luva invisível protetora” que mata os micro-organismos causadores de doenças, como a Covid-19, o H1n1, etc, e cria uma camada que impede o contato com o vírus novamente. Eu posso ir ao mercado, voltar e não me preocupar com corrimão, maçaneta, botões de elevador, porque estarei protegida. O álcool gel elimina o vírus, mas logo ele evapora. Nosso antisséptico não”, explica Fernanda Checchinato.

O Microbac® é um poderoso bactericida e desodorizador multiuso de longa duração que elimina 99,9% dos microrganismos causadores de doenças. Está disponível na versão spray e líquida, podendo ser usado em máscaras de tecido, roupas, sapatos, estofados e outras superfícies. “Usando o Microbac® na máscara, você não precisa fazer a troca a cada duas horas, por exemplo, e com menos lavagens, você prolonga a vida útil do tecido”, esclarece Checchinato.

Ambos os produtos foram rigorosamente testados e aprovados pela Anvisa, são veganos, não causam alergias, podendo também ser usados por gestantes, idosos, bebês e pessoas em tratamento de câncer, por exemplo.

Sobre o Microbac® Spray

Bactericida e fungicida para tecidos e superfícies desenvolvido com nanotecnologia. É eficiente na proteção contra vírus, bactérias, fungos e mofos causadores de doenças.  Com versões doméstica e hospitalar, o Microbac® perdura no tecido por até dois meses ou 20 lavagens. Não há restrição de idade e pode ser usado por toda a família. Pode ser aplicado nas máscaras de tecido, roupas, calçados, bolsas ou quaisquer superfícies.

GY® Antissépticos sem álcool

Primeira linha de antisséptico sem álcool para uso doméstico no Brasil, desenvolvido nas versões spray, gel e sabonete. A linha GY® protege contra vírus, bactérias e fungos. Com ativos 100% vegetais, sem uso de parabenos, sulfatos ou ftalatos, os produtos GY® desinfetam, são altamente hidratantes e refrescantes para a pele. A linha GY® possui efeitos duradouros por até seis horas e pode ser usada por crianças, adultos e idosos.

Para saber mais sobre a linha GY® Antissépticos, Microbac® e outros produtos da Aya Tech para a área da saúde e biocosmética, acesse www.aya-tech.com.br

Sobre a empresa:

A startup Aya Tech é uma empresa 100% brasileira focada no conforto, qualidade e bem estar da sociedade, não medindo esforços para o desenvolvimento sustentável de produtos de alta tecnologia, que não agridam o meio ambiente.

A equipe da Aya Tech busca inovação científica e o emprego de nanotecnologia, em soluções que atendam aos segmentos de Agronegócio, Construção, Cosmética e Fragrância, Energia, Higiene, Hospitalar, Hotelaria e Têxtil.

Aplicativo detecta coronavírus através da tosse

Aplicativo detecta coronavírus através da tosse

A próxima vez que você for tossir, por que não fazer isso no celular? Um grupo de jovens pesquisadores e professores de algumas das melhores universidades de tecnologia do mundo criou um aplicativo para smartphone que detecta em questão de minutos, se alguém tem COVID-19 a partir da análise de um registro de sua tosse. Mas eles precisam da ajuda de pessoas do Brasil para melhorar ainda mais esse aplicativo revolucionário. 

Virufy é uma organização sem fins lucrativos composta por mais de 50 pesquisadores internacionais de 25 universidades de prestígio e 20 países diferentes – incluindo Inglaterra, Japão, EUA, Argentina, Brasil, Colômbia, México e Peru. O aplicativo web mobile (web app) usa inteligência artificial para avaliar a probabilidade de um indivíduo estar infectado com o novo coronavírus. 

Composta por especialistas médicos, técnicos e jurídicos de instituições como Stanford, Google e Princeton, a equipe do Virufy validou seu algoritmo de machine learning com milhares de tosses da América Latina, Europa e Ásia para distinguir entre SARS-CoV-2 positivo e sons de tosse negativos com 80% de precisão até agora.

Ao mobilizar os jovens para coletar dados de tosse em diversas regiões do mundo, o Virufy visa treinar seu algoritmo para obter uma precisão ainda maior e entender melhor como soa o COVID-19. Para chegar nesse objetivo, a  organização internacional de pesquisa sem fins lucrativos está expandindo seus esforços para coletar mais tosses na América Latina, uma região que continua registrando um aumento alarmante de casos positivos.

“Virufy é a única iniciativa capaz de reunir o mundo inteiro pela primeira vez: para parar o inimigo comum que é a COVID-19”, disse Amil Khanzada, engenheiro de software do Vale do Silício e fundador da Virufy. “É uma solução global genuína para achatar a curva em todo o mundo e acabar com essa pandemia, especialmente nos países em desenvolvimento onde não há acesso massivo aos testes, o que torna o rastreamento e o distanciamento social mais difíceis.”

Ele continuou: “Pedimos às pessoas no Brasil, Argentina, Bolívia,Colômbia, México ou Peru e que apresentem sintomas semelhantes aos da COVID-19 que acessem o site  virufy.org/app e doem sua tosse, para que possamos nos unir e acabar com essa pandemia mais rápido”.

Embora o Virufy não substitua os testes de diagnóstico de nível hospitalar e deva ser usado junto com os sintomas e verificações de temperatura, a detecção precoce e imediata incentivará a quarentena voluntária. Isso, por sua vez, ajudará a proteger as comunidades locais e, em última instância, protegerá centenas de milhões de outras pessoas, à medida que a disseminação do vírus diminui. “A propagação da COVID-19 começou com uma pessoa e não podemos continuar subestimando o vírus”, comentou Khanzada.

O Virufy permite que todos façam sua parte para limitar a propagação e retomar o senso de controle durante a pandemia em curso. Fornecendo a detecção mais rápida do mercado, a organização espera criar uma ferramenta de triagem suplementar que possa ser recomendada com segurança por profissionais de saúde, mitigando a carga que os testes inacessíveis colocam em comunidades carentes em todo o mundo.

“Leva apenas dois minutos para doar uma tosse por meio de um smartphone ou computador”, disse Matheus Galiza, Gerente de Extensão da Comunidade da Virufy para o Brasil. “Recomendamos veementemente que qualquer pessoa de qualquer um dos seis países identificados da LATAM que tenha sintomas semelhantes aos do COVID ou que tenha recentemente testado positivo para COVID-19 doe sua tosse. Membros da família e amigos em contato próximo com indivíduos COVID-positivos devem fazer o mesmo. Ao fazer isso, você estará ajudando diretamente a acabar com a pandemia. ”

Primeira vacina contra o coronavírus é registrada na Rússia

Primeira vacina contra o coronavírus é registrada na Rússia

Nesta terça-feira (11), a Rússia se tornou o primeiro país a registrar uma vacina contra o coronavírus. O anuncio foi feito pelo presidente Vladimir Putin. A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Gamleya, de Moscou após alguns meses de testes em humanos.  

Segundo o presidente Putin, a vacina passou pelos testes e se mostrou eficaz, oferecendo imunidade ao coronavírus. Apesar das afirmações de Putin, cientistas nacionais e internacionais questionam a eficácia da vacina.  

Mais de 100 vacinas estão em desenvolvimento em todo o mundo, pelo menos 4 delas estão na fase 3 (última fase), de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Sendo 25 testadas em humanos. 

Testes  

Antes de uma vacina ser aprovada é necessário percorrer um longo caminho, que pode durar anos. Mas, devido a pandemia do coronavírus, cientistas do mundo vem focando seus esforços na aprovação recorde de uma vacina.

A primeira fase é de pesquisas feitas em laboratório, seguida por testes em animais. Logo depois, a vacina começa a ser aplicada em humanos, pequeno grupo de indivíduos saudáveis (de 20 a 80 voluntários)   

Depois, o grupo de indivíduos testados aumenta, mas só em uma última etapa é que a vacina é testa no público-alvo, em grupo de milhares de pessoas. Ao longo de todas estas fases, a vacina continua sendo monitorada observando as reações adversas.  

Neste momento, o Brasil testa ou tem previsão de testes de quatro vacinas. A Coronavac (China), a vacina de Oxford (Reino Unido), a vacina da Pfizer/BioNTech (Estados Unidos/Alemanha) e a Sinopharm (China). 

Pin It on Pinterest