HealthTech: um novo mercado para startups

HealthTech: um novo mercado para startups

A hygia bank, banco digital nichado na área da saúde, anuncia dois lançamentos que vão revolucionar o mercado de saúde corporativa.

O primeiro é uma solução completa e automatizada para a promoção do bem-estar principalmente no ambiente de trabalho. Modelo muito difundido e com resultados visíveis em corporações de grande porte, agora disponível para empresas de todos os tamanhos.  Dividida em três planos — Básico, Plus e Premium. A proposta é potencializar o resultado das empresas a partir de hábitos saudáveis dos funcionários.

O segundo é o lançamento do selo Work Healthy is Better, uma certificação semelhante a do Great Place to Work Institute que visa reconhecer as empresas que realizam melhores ações de promoção de saúde entre os colaboradores.

Por meio dos planos oferecidos pela hygia, a empresa proporciona um programa de saúde para os funcionários que envolve serviços como check-ups com coleta domiciliar, seguros personalizados entre eles seguro odontológico, de vida, saúde, assistências médicas e, além disso, relatórios de informações estratégicas e ações de endomarketing relacionadas aos scores (pontuação) para acompanhar e cuidar da saúde dos colaboradores.

Cada plano dá acesso ao aplicativo hygia bank que disponibiliza questionários para serem respondidos pelos colaboradores sobre seus hábitos de vida como a saúde nutricional, mental e física. A partir das respostas, é desenvolvida uma pontuação de saúde (score) para que o RH que, em posse dos indicadores, possa promover um ambiente saudável e proporcionar devolutivas para os respondentes, bem como acesso aos parceiros do ecossistema de saúde da hygia como clínicas, laboratórios, restaurantes saudáveis, academias, entre outros além de descontos em grandes redes como Droga Raia, Drogaria Onofre, Drogarias Farmais, Drogasil, Hummel Artigos Esportivos, Lojas Americanas, MedCenter Clínica Médica, Nestlé, Panvel Farmácias, Petz, Philips, Tok & Stok, entre outros.

score da saúde vai definir se a empresa receberá ou não o selo de qualidade Work Healthy is Better de melhores práticas em promoção de saúde. Ricardo Matte CCO da hygia, explica que “os profissionais da atualidade desejam qualidade de vida e trabalhar para instituições conectadas com esse propósito está cada vez mais presente nos anseios de cada um”.

Para o executivo, as empresas já estão realizando ações neste sentido com o intuito de melhorar a saúde dos colaboradores. “A ideia é contribuir com as organizações para diminuir licenças e afastamentos, evitar ações judiciais, aumentar a disposição e a produtividade. Atualmente há uma preocupação com o índice de felicidade dos funcionários, o que, consequentemente, leva as pessoas a enxergarem que a empresa dá atenção, cuida da saúde, inclusive informando a área de Recursos Humanos, por exemplo, sobre uma eventual pontuação baixa no score de saúde mental de determinado setor”, finaliza.

*Ricardo Matte é formado em Administração de empresas, possui MBA em Gestão. É assessor de investimentos CVM e corretor de seguros SUSEP. Foi CEO e Founder R&S corretora e atualmente é sócio da  hygia investments, da  hygia insurance, CCO da hygiabank e colunista da infohealth.

Sobre a hygia bank

A hygia bank é um banco digital que atua como fintech e healthtech, com operações no Brasil, sediada em Porto Alegre. O principal objetivo da empresa é incentivar os brasileiros a financiarem sua saúde com recursos próprios e ao mesmo tempo promover uma cultura de prevenção. Os usuários podem planejar cuidados, armazenar exames e laudos, marcar consultas e teleconsultas, além de utilizar a carteira digital disponível no aplicativo.

Em 2020, a hygia bank lançou sua versão 3.0, incluindo serviços de seguros para doenças graves; teste de DNA voltado à nutrição; serviços financeiros voltados à área; um planner de saúde, questionários realizados com profissionais para identificar um “score” da saúde do usuário; fornecimento de serviços e conteúdos informativos de credibilidade. Na carteira digital, o dinheiro acumulado só pode ser usado com saúde. Consultas, exames, restaurantes saudáveis e academias são alguns dos serviços que podem ser utilizados.

O aplicativo está disponível tanto nos celulares com sistema operacional iOS como Android, totalmente gratuito. Empresas, clínicas e profissionais da saúde que quiserem fechar uma parceria também devem se cadastrar pelo aplicativo. https://www.facebook.com/hygiabankhttps://www.instagram.com/hygiabank/ https://www.linkedin.com/company/hygia-bank/ ou pelo site https://www.hygiabank.com.br/ e www.empresas.hygiabank.com.br

Incubada pelo Hospital Albert Einstein

A startup foi aceita pela incubadora Eretz.Bio, uma iniciativa do Hospital Israelista Albert Einstein, referência na América Latina, que visa fomentar o empreendedorismo e inovação em saúde no Brasil.

Na incubadora, a startup desenvolve os projetos com o apoio de especialistas do Einstein e uma rede nacional e internacional de lideranças científicas, gestores e mentores

Plataforma de investimentos para o profissional da saúde

O mais recente lançamento da empresa foi a plataforma hygia Investments, uma assessoria de investimentos focada em profissionais e empresas de saúde.

Healthtech cria programa de créditos para subsidiar produtos de saúde para pessoas de baixa renda

Healthtech cria programa de créditos para subsidiar produtos de saúde para pessoas de baixa renda

Só quem tem diabetes, estomia, problemas de pele, trocas diárias de curativos, entre outras doenças ou necessidades, sabe o quanto as seringas, as bolsas e faixas, por exemplo, pesam no orçamento no fim do mês. E, o pior, é um gasto obrigatório e grande, muitas vezes sem prazo de validade. De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 40% da população adulta brasileira, que corresponde a 57,4 milhões de pessoas, possui pelo menos uma doença crônica não transmissível, sendo uma delas a diabetes. Essas famílias, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, gastam anualmente R$ 1,25 bilhões com a aquisição direta desses produtos de saúde. Ou seja, é muita gente com um gasto alto diante de um cenário econômico difícil, principalmente após um ano de pandemia.

Foi pensando nessas pessoas que a healthtech Suprevida resolveu inovar em seu programa de créditos. “Recebemos mensagens frequentemente de pessoas pedindo ajuda com a compra de produtos de manutenção da saúde. Isso é uma necessidade básica, elas não podem ficar sem”, afirma Rodrigo Correia da Silva, CEO da startup que conecta produtos, informações e serviços de saúde.

A partir de janeiro de 2021, o interessado poderá se cadastrar gratuitamente no Clube Suprevida para gerar um link que lhe renderá créditos, sem a necessidade da realização de uma compra inicial. “Na maioria dos programas, o cliente precisa primeiro realizar uma compra para depois ganhar qualquer forma de bonificação. Na Suprevida, a gente percebeu que a pessoa pode estar com uma necessidade e não ter recurso para essa primeira compra. Por isso, resolvemos mudar o formato do nosso programa, permitindo a entrada de clientes que ainda não tenham adquirido qualquer produto na plataforma e possam gerar uma rede de apoio”, explica o executivo. 

A pessoa de baixa renda e que precisa de ajuda poderá, então, enviar o link para que seus indicados entrem no Clube. A partir daí, toda compra realizada no site terá uma porcentagem revertida em créditos para quem os convidou, que poderão ser resgatados em produtos. Assim, um vai ajudando o outro. “Infelizmente, não conseguimos ajudar todas as pessoas que precisam, por isso, pensamos em uma forma de criar uma verdadeira corrente do bem”, complementa o executivo, que acrescenta que é por causa desse ciclo de colaboração que resolveram usar o slogan “o bem faz bem”. 

O destaque é que o vínculo não tem data de validade, ou seja, mesmo após meses, as compras continuam revertendo em créditos para futuras trocas. “Toda compra que o cliente fizer no nosso site continuará gerando crédito para ele e também ao remetente do link que o fez entrar no nosso clube, criando um círculo de crowdfunding solidário”, garante o CEO. Ele acrescenta que não existe um número máximo de pessoas para o envio de um mesmo link e que os créditos vencem apenas a cada 90 dias, prazo suficiente para quem adquire produtos de saúde, como os comercializados na plataforma. “Quem precisa de soro, curativo, gaze, lenço umedecido,  por exemplo, geralmente compra com esse intervalo de tempo mesmo, entre dois e três meses”. 

Além dos créditos revertidos por conta das compras, os interessados também poderão doar e transferir os próprios bônus para instituições sem fins lucrativos, que ajudam centenas de pessoas diariamente. Vale destacar que o Brasil atingiu taxa de desemprego recorde, de 14,6% no 3º trimestre de 2020, segundo último levantamento do IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. “A população sofre com diversas enfermidades que exigem tratamentos contínuos e caros, só que, ao mesmo tempo, muita gente não tem condições financeiras para se tratar. Se a Suprevida ajudar pelo menos um pouco nesse cenário, já estaremos satisfeitos”, finaliza Rodrigo.

Pin It on Pinterest