Nova economia: há vagas para quem se transformou digitalmente

Nova economia: há vagas para quem se transformou digitalmente

Em  tempos de pandemia há sim vagas sobrando no mercado de trabalho, e não são somente em funções para a área de saúde. Profissionais com habilidades e familiaridade em trabalhar com ferramentas digitais, estão em alta, mesmo num cenário econômico complicado. Pelo menos é o que indica uma sondagem de mercado feita em maio deste ano junto a empresas de Goiânia. O levantamento é do Instituto Gyntec e foi realizado  Instituto Gyntec Academy, e foi realizado em parceria com a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação de Goiás (Assespro-GO) e a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex). O objetivo foi de avaliar os impactos e as adaptações feitas pelas empresas no mundo pós-pandemia.

Resultados da sondagem de mercado, que ouviu 38 empresas de diversos segmentos, apontam que a pandemia de fato eliminou um grande número de postos de trabalho, mas também mostrou que este novo momento também estimulou e acelerou o crescimento de outros setores como o de tecnologia da informação e o de comunicação e marketing digital. Das companhias participantes do levantamento e que estão com vagas em aberto, um percentual superior a 55% estão a procura de profissionais com essas habilidades.

Entre as empresas que estão ofertando oportunidades, os perfis mais procurados são os de profissionais que têm experiência com gerenciamento de mídias socais, desenvolvimento de conteúdo digital (para sites e redes sociais), gerenciamento e planejamento em inovação, gestão de projetos, análise de dados, metodologias ágeis e Scrum (sistema gerenciamento para desenvolvimento de software).

“São aptidões muito requeridas por empresas dos segmentos de comunicação digital, publicidade e marketing digital, segurança e análise de dados e desenvolvimento de tecnologias digitais. Afinal estes são setores que registraram grande demanda nessa época de distanciamento social, quando muitas empresas foram obrigadas a colocar em prática ou até mesmo criar de um dia para o outro seus projetos de transformação digital”, esclarece Marcos Bernardo, co-funder do Instituto Gyntec Academy.

Aumento da demanda
Diretora de uma agência de marketing digital em Goiânia, a publicitária Tauhana Porto conta que logo que foi decretado o estado de emergência em saúde pública no Estado de Goiás registou um aumento de 50% nas demandas apresentadas por seus clientes. “Com essa questão da pandemia e do distanciamento social, as empresas perceberam a necessidade de reforçar sua presença no meio digital. Então nossos clientes começaram demandar muito”, revela a publicitária que contratou recentemente duas pessoas para sua equipe, uma design e uma profissional para área de desenvolvimento de campanhas.

Tahuana explica ainda que para sua área de marketing e comunicação digital a familiaridade e o gosto em trabalhar com mídias digitais e redes sociais são requisitos indispensáveis para quem quer atuar neste segmento. Marcos Bernardo explica que o levantamento também apontou para uma procura grande por profissionais de vendas e marketing, com 34,20% das empresas ouvidas dizendo que estão a procura de pessoas com estas habilidades. “A busca é por profissionais de vendas e marketing já inseridos e com ampla experiência em ferramentas digitais e atendimento online”, frisa.

Oportunidade
E foram suas habilidades em produção de conteúdo digital e para redes sociais que garantiram uma oportunidade para outra publicitária. Após uma temporada de um ano nos Estados Unidos, onde estava treinando para outra ocupação que tem, atleta de escalada, e produzindo conteúdo digital para uma produtora de vídeo, a publicitária Jordana Agapito, voltou ao Brasil para assumir a gerência de marketing de um dos maiores complexos de saúde e bem-estar do País, o Órion Business Complex, em Goiânia. “A oportunidade surgiu bem no começo da pandemia”, revela.

A executiva observa que, mesmo quem não trabalha nas áreas de comunicação, marketing e TI, está buscando desenvolver seus conhecimentos em habilidade do universo digital como o gerenciamento de redes sociais.  “Nesta minha experiência atual aqui no Órion, onde atuo com muitos profissionais de saúde, tenho percebido isso. Tenho visto por parte deles um movimento muito grande de se inserir no marketing digital, usando várias ferramentas digitais, buscando usar de maneira mais profissional suas redes sociais. E isso acaba repercutindo no mercado de oportunidades, pois, com o desenvolvimento de sua presença digital, eles precisarão contratar serviços”, conta a gerente de marketing.

Saiba como as crenças limitantes atrapalham na inovação

Saiba como as crenças limitantes atrapalham na inovação

*Por Georgia Roncon

Muito mais do que uma frescura ou preguiça, as crenças limitantes são cicatrizes formadas por algumas das experiências ruins que todos nós algum dia vivenciamos. Elas geralmente estão relacionadas com a sensação de insegurança sobre autoestima (“não sou bom o suficiente”), incapacidade (“não consigo viajar de carro”) ou julgamento de outras pessoas (“minha chefe me olhou com uma cara ruim”).

Isso acontece porque a nossa mente, na tentativa de evitar sofrimento, cria um processo de sabotagem. Então, um modelo mental (crença) bloqueia o indivíduo da realização de determinadas ações. Assim, o que antes era uma proteção justificada acaba se tornando um limitador e um desafio para o sucesso de grande parte dos empreendedores.

Neste artigo, nós ajudaremos você a reconhecer e superar alguns conflitos limitantes e determinar um novo rumo em sua carreira. Continue a leitura e confira!

Como identificar o seu sistema de crenças?

O primeiro passo para a identificação de seus padrões limitantes é a observação. Isso implica que você deve “ler” o comportamento de seus pensamentos diante de algumas situações e identificar a mensagem de bloqueio que é enviada ao seu cérebro.

Como exemplo, suponha que você tenha dificuldades para escrever textos em inglês, mesmo depois de ter concluído um curso de idiomas. Toda vez que começa uma redação, não consegue terminá-la e corre para as redes sociais.

Sempre que essa situação se repetir e você se sentir desconfortável, atente-se para a mensagem que age como um gatilho em seus pensamentos, como:

escrever textos em inglês é muito difícil;

vou errar e as pessoas vão me julgar; ou

nunca termino o que começo.

Nesse exemplo, falamos sobre uma pessoa que concluiu um curso de idiomas. Então, como ela pode achar que nunca termina o que começa? Como ela julga que escrever em outro idioma é difícil, se ela completou o curso?

Como podemos ver, essas crenças são irreais e simplesmente entregues a você, sendo capazes de limitar a liberação de seu pleno potencial. Lembre-se de que os empreendedores são feitos para brilhar e modificar o mundo.

Como superar as crenças limitantes?

Conhecer a maneira pela qual você reage diante de determinadas situações ajuda bastante na identificação de seus bloqueios. Até superá-los, você deverá realizar um processo e torná-lo um hábito. Para isso, deixamos algumas dicas que vão ajudá-lo na substituição de seu sistema de crenças.

Reflita e olhe para dentro

Sempre que identificar um bloqueio, pare o que estiver fazendo e busque entender a mensagem que está sendo enviada para a sua mente. A seguir, pense sobre o assunto de forma racional, como: pergunte-se se você realmente não consegue realizar tal atividade; veja se já realizou algo semelhante. Pergunte-se se a outra pessoa realmente não gosta de você, ou se ela está apenas tendo um dia ruim; ou veja se outras pessoas também apresentam as mesmas dificuldades que você.

Busque por evidências

Para responder às perguntas da etapa anterior, busque fornecer fortes evidências de suas capacidades — como os cursos que fez, as experiências positivas anteriores, os comentários de outras pessoas ou os prêmios recebidos. Não tenha medo de argumentar!

Mude os seus hábitos

A descoberta de novos modelos mentais é a forma mais natural de você substituir o seu sistema de crenças. Uma vez que ele está diretamente relacionado aos seus hábitos, obter novas experiências é a melhor forma de trabalhar com modelos mentais diferentes.

Frequente novos lugares, conheça outras pessoas, viaje, escreva, leia e consuma coisas e vivências diferentes. É como construir uma casa, iniciando pelo alicerce.

O mais importante é compreender que as suas crenças limitantes não definem quem você é. Com esforço, análise e determinação, além de apenas identificá-las, é possível realizar uma verdadeira reprogramação da sua mente.

Georgia Roncon

Empresária e empreendedora com mais de 13 anos de experiência em gerenciamento comercial, marketing, desenvolvimento de equipes, criação de produtos e implementação de cultura organizacional e inovação, atualmente é Co- Founder do ECQ Lifelong Learning. É formada em Letras Inglês e possui MBA em Gestão Empresarial e Marketing pela FGV.

Apaixonada por educação, marketing e tecnologias é  co- fundadora da AGE GROUP, que atua em seguimentos como:  Turismo, Investimentos e com Educação em Inovação e Tecnologia com o ECQ Lifelong Learning, que opera tanto no Brasil e nos EUA.

Sobre ECQ

Os cursos, palestras e sistema de Networking do ECQ Lifelong Learning, são voltados para empresários, CEO’s e líderes em geral e tem como intuito preparar esses profissionais para enfrentar a revolução tecnológica que irá impactar todas as empresas, carreiras e atividades existentes.

Referência em disseminar conhecimento através da inovação, para as mais diversas áreas de atuação, o ECQ tem como missão transformar vidas, carreiras e negócios. Os fundadores, Alexandre Rodrigues e Georgia Roncon, realizam constantes eventos em diversos formatos, seja meet ups ou congressos, com o objetivo de debater sobre os últimos acontecimentos da economia 4.0 com empresários, empreendedores, gestores e estudantes. Para saber mais, acesse o site  – https://ecqonline.com.br/ e também pelas redes sociais @ecqonline_br .

Pin It on Pinterest